“Se Liga Bocão” confere popularidade ao seu âncora

Apresentador comemora dizendo que programa é líder de audiência no horário, e conta um pouco de sua trajetória na televisão baiana

Por Bruna Rocha e Josiane Guimarães

Apresentado pelo radialista José Eduardo, mais conhecido do público como Bocão, o programa “Se Liga Bocão” é ‘líder de audiência no horário e não esconde a realidade do povo baiano’, como se auto-caracteriza. O programa com mais de quatro anos de história, teve sua estreia na TV Aratu e, desde janeiro de 2008, passou a ser veiculado pela TV Itapoan.

José Eduardo - Apresentador do Se Liga Bocão - Foto Divulgação

Falante e crítico, Zé Eduardo esteve envolvido em polêmicas, sobretudo na saída da sua antiga emissora quando foi acusado por um funcionário de estar extorquindo empresários de Salvador. Sobre esse fato Zé argumenta, “pregaram uma armadilha para mim na tevê. Foi bom porque aprendi e estou de pé. A melhor resposta vem pelo ibope. Meu programa dá 18 e o deles dá 6”, diz.

Com a mudança o programa passou por algumas reestruturações porém, segundo o apresentador, a maior mudança foi quanto ao assistencialismo. “Acredito que tenha mudado o assistencialismo que deixei um pouco de lado, mas que está retornando aos poucos já que o povo está muito carente disso”. No programa que é exibido de segunda a sexta-feira, no horário das 13h às 14h30, Zé Eduardo se apropria de intensos recursos visuais, jogos de câmara, gestos, tom eloquente de voz para despertar a atenção do seu público.

Comentando sobre a postura de Zé Eduardo a frente do seu programa, a pesquisadora Mirella de Freitas Santos analisa “o apresentador envolve-se com os fatos noticiados e transmite para o telespectador seus sentimentos de raiva, tristeza e revolta, sofrendo com as mesmas angústias que atormentam o telespectador. O que leva a um posicionamento de estar do lado do povo e em busca de medidas que solucionem os problemas que afligem a sociedade”.

Para desenvolver um ‘jornalismo social, de denúncia, e com entretenimento’ como anuncia o site do programa, Zé Eduardo conta com uma equipe de nove pessoas. Três produtores, três repórteres e três editores.

Porém, Zé Eduardo não se limita ao papel de apresentador. Na escolha das matérias ele “mete a mão na massa”. “A maioria das fontes passa por mim. Recebo muitas denúncias através de e-mail e dessas 70 % são verídicas”, afirma.

Outros canais de participação do público são abertos como o telefone do programa, a visita pessoal à produção e até o seu twitter pessoal. “Hoje mesmo, após denúncia pelo twitter, a equipe foi até Ribeira do Pombal para fazer uma matéria sobre o padrasto que engravidou a enteada de 10 anos”, lembra.

Dentre os assuntos pautados, “polícia é o principal foco. Depois família, assistencialismo, música, entretenimento”. Segundo ele “é uma mistura que a gente faz e deu certo”. Apesar do grande público pertencer as classes C, D e E, Zé afirma que na classe A possui 15% da fatia.

Atualmente, além da televisão, Zé Eduardo mantém três programas de rádio. Na rádio Sociedade AM, 74.0, apresenta o “Programa do Bocão”, de segunda a sexta-feira, das 8h às 9h. E na Itapoan FM, 97.5, os programas “Se Liga Bocão”, de segunda a sexta, das 18h às 19h e “Itapoan FM Esportes”, também de segunda a sexta, das 20h às 22h.

Raimundo Varela é referência no formato

Na televisão baiana, Raimundo Varela foi o precursor do jornalismo popular.  Em 1980, ao lado do ex-prefeito de Salvador, Fernando José, Varela comandou, na TV Itapoan, sua emissora de estreia, o programa “O Povo na TV”. Era o início de uma carreira jornalística centrada como porta-voz dos problemas do povo.

Decidindo investir ainda mais nesse formato, Varela inaugura, ainda ao lado

Raimundo Varela - Apresentador do Balanço Geral - Foto Divulgação

de Fernando José, o programa Balanço Geral o qual ele apresenta até hoje, de segunda a sexta-feira, às 12 horas, na mesma TV Itapoan.

O programa trouxe a linha do jornalismo de denúncia social, que apresenta os fatos e foca nos comentários do apresentador, esses muitas vezes manifestados em tom de crítica eloquente, sobretudo ao poder público.

O formato é utilizado por várias outras afiliadas da Rede Record, em outros estados (entre eles São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais). Eles seguem um padrão de cenário e são todos exibidos na faixa horária do almoço.

Denominado no site Itapoan Online como a “Ouvidoria do Povo”, o “Balanço Geral” e seu apresentador, Raimundo Varela, se tornaram referência para os programas jornalísticos de caráter popular, que se seguiram posteriormente e hoje integram a grade das emissoras baianas, Aratu e Itapoan.

O apresentador José Eduardo, mais conhecido do público como Bocão: “Varela atinge as classes C, D e E como ninguém. Gosto muito do ‘denuncismo’ dele e de Mário Kertész também, que na classe A é fantástico”, diz.

Com figura de líder popular e porta-voz do povo, Varela, em 2008, lançou-se como candidato a prefeito de Salvador tendo, porém, depois de quatro meses, desistido da candidatura.

Continue lendo:

Jornalismo popular ganha espaço no meio impresso baiano

Veja como a mídia e a política podem ser aliadas na construção da popularidade

Kertész: de ex-prefeito e radialista a megaempresário na imprensa baiana

Programas populares ganham espaço na grade do telejornalismo baiano

QVP e Na Mira comandam grade jornalística da TV Aratu