ARQUIVO ID126 – 2014.2 – ED. 02 / DOSSIÊ: CORPO

ARQUIVO ID126 – 2014.2 – ED. 02 / DOSSIÊ: CORPO

Corpo não é mentira ou pecado. Às vezes é arte, parte, falta, dor, fala, cor ou só corpo mesmo. Todo mundo tem um corpo para chamar de seu e fazer o que bem entender dele. Pode enfeitar com tatuagens, piercings ou deixar os pelos crescerem por falta de tempo ou em protesto aos padrões impostos. O corpo serve para trabalho, seja o seu ou o de outro, da estátua viva e coreógrafo ao coveiro e personal trainer. O corpo que dói às vezes causa prazer, ou angústia. Talvez, precise da paz advinda de Yoga, Reiki ou Tai Chi Chuan. Os corpos nem sempre estarão vivos e quando mortos, para onde vão? Uns perdem partes do seu. E tem corpo que não está preparado e resulta em… aborto ou suicídio. De todos os tamanhos, pesos e cores, eles vão estar neste dossiê que o Impressão Digital 126 preparou como um espetáculo da vida – ou da morte! Sinta cada matéria à flor da pele.

Modificação corporal: arte e expressão que fascina e assusta
Tatuagens, piercings e modificações extremas ajudam a criar visual próprio

Corpo é razão e instrumento para algumas profissões
Coveiro, personal trainer, estátua viva e coreógrafo contam as minúcias e as histórias que envolvem suas atividades

Desequilíbrios emocionais podem causar doenças físicas
Desarmonia entre mente e corpo compromete a saúde e transmitem “mensagem inconsciente”

Diabetes e acidentes são maiores causadores de amputações no Brasil
Homens são as maiores vítimas da média anual de amputações de 13,9 por 100 mil habitantes

Corpo militante: estética a serviço da resistência
Aparência pode representar uma luta para romper paradigmas socioculturais

E agora, para onde vamos?
Após o corpo humano ficar sem vida, a decomposição começa em 24h; em até dois anos, restará apenas a estrutura óssea

Foto: Flickr/Tony Alter

Tatuagens suspeitas
Cartilha lançada pela PM-BA gera polêmica ao relacionar tatuagens à prática de crimes

Legislação influencia na autonomia sobre o próprio corpo
Questões religiosas também interferem nesta liberdade

Um corpo, duas mortes
Nos principais programas policiais da Bahia, 16,9% das violações dos direitos humanos é por exposição de corpos

Dores crônicas atrapalham a rotina de 76% dos brasileiros
Dor é um dos principais motivos para a ausência no trabalho

Dança: corpo como expressão
Expressar os sentimentos e emoções através da arte. A dança se apresentou como paixão e forma de se expressar para todos

Selfies realçam vaidade de jovens e adolescentes
Modismo e culto ao corpo fazem das selfies um hábito

Campanha política: guerra não-verbal dos candidatos
Estratégia dos marqueteiros, linguagem corporal foi explorada durante as eleições com o objetivo de convencer e persuadir o eleitor

Compartilhe Agora!