Vai ter política no Facebook sim

Vai ter política no Facebook sim

Nas redes sociais, páginas como Salvador da Depressão e Salvador, Sua Linda, Você Tá Barril discutem o cotidiano da cidade

Debora Rezende | Foto destaque: Mila Cordeiro

Seja em uma mesa de bar, ponto de ônibus ou roda de amigos, as discussões sobre política se tornam cada vez menos uma realidade distante da rotina dos eleitores. Nas redes sociais, o cenário não é diferente. Em meio às postagens de fotos e vídeos, temas relacionados ao funcionamento da cidade ganham espaço, por exemplo, na timeline do Facebook.

A capital baiana não fica de fora do fenômeno das discussões políticas na internet. Páginas como Salvador da Depressão e Salvador, Sua Linda, Você Tá Barril trazem para seus curtidores reflexões sobre o cotidiano da cidade e seus movimentos culturais, além de colocar em evidência uma análise da atual gestão do prefeito ACM Neto.

“Ainda durante as eleições municipais de 2012, percebemos que o conjunto das candidaturas postas à Prefeitura não conseguiam levar para o centro do debate eleitoral as dificuldades mais escondidas da cidade, longe dos olhos da mídia tradicional”, explica Anderson Alves, estudante de Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades pela Ufba, que mantém a página Salvador da Depressão em parceria com um amigo. “Abordamos de tudo um pouco na página, de política a saúde, oportunidades de emprego e entretenimento. Mas a principal discussão da página, sem dúvidas, são os problemas de Salvador e como as nossas autoridades lidam ou não com isso”.

Página Salvador da Depressão no Facebook

Na Salvador, Sua Linda, Você Tá Barril, as coisas começaram de modo semelhante. A iniciativa foi de quatro colegas, que, durante uma conversa no Largo da Dinha, no Rio Vermelho, pensaram em criar a página. “Uma roda de amigos que queriam falar de Salvador, num momento em que percebíamos o quanto a cultura popular estava sendo estrangulada”, explicam em entrevista por e-mail com os quatro administradores.

Com um número considerável de seguidores (Salvador da Depressão sustenta mais de nove mil, enquanto a outra já passou dos 12), ambas as comunidades no Facebook pontuam múltiplas questões relacionadas ao cotidiano da cidade – desde músicas que valorizam o cenário cultural da Soterópolis até coberturas sobre lançamentos de obras públicas.

Página Salvador, Sua Linda, Você Tá Barril no Facebook

“Se não utilizarmos a Internet para falar de política, economia e etc, que outro meio usaríamos? A mídia tradicional vendida aos pacotes publicitários? Não dá, né”, comenta Anderson Alves. “Cabe ao ativismo na internet politizar as discussões sem desrespeitar a opinião do outro, é uma questão de debate, de convencimento com base num campo mais amplo de visão das coisas”.

Para o jornalista político Levi Vasconcelos, o fenômeno deste tipo de ativismo nas redes deve ser encarado com parcimônia. “A internet ainda é uma terra de ninguém e usa-se ela, no campo político, para tudo quanto é tipo de coisa”, opina. “É um processo novo que ainda carece de amadurecimento. Como qualquer instrumento, depende de quem toca”.

Número de curtidores nas duas páginas nas redes sociais

Cidade para todos

“A página nasceu para mostrar uma Salvador que está em todo lugar; na conversa e amizade fácil no ponto de ônibus, na beleza da sua arquitetura colonial, na cultura trazida pelos negros e negras, na beleza natural, mostrar nossa identidade”, explicam os idealizadores da Salvador, Sua Linda, Você Tá Barril.

Mais do que falar sobre a representação da cidade em todos os lugares, fanpages como as destacadas sustentam o discurso de abrir espaço para múltiplas vozes. “Há muito mais democracia, possibilidades e pluralidade de ideias, além de maior interatividade. Vivemos num país em que ainda existem resquícios da ditadura. Uma delas é o monopólio da informação”, afirmam. “Enquanto não houver a democratização dos meios de comunicação, a internet vai ser o local onde haverá mais espaço e democracia”.

A ideia de falar de Salvador pelos próprios moradores traz também uma análise muito forte da maneira como a cidade é gerida hoje. Para Anderson Alves, da Salvador da Depressão, esse viés crítico é fundamental para a página. “A gestão precisa descer do tamanco da alta popularidade do Prefeito e governar mais para a cidade, principalmente os que mais precisam, e menos para a mídia, pois, no final das contas tudo acaba sendo muita propaganda e pouca ação concreta”, salienta.

Vale destacar que o Ativismo político por meio do Facebook não é novidade ou ação exclusiva dos soteropolitanos. Na linha “depressiva”, as páginas São Paulo da Depressão e Brasília da Depressão seguem com uma linha de postagens semelhantes às da Bahia. No Rio de Janeiro, um dos exemplos do ativismo virtual fica com a página Meu Rio.

Top 10 

Nas páginas, o humor divide os holofotes com postagens mais críticas. Confira dez dos posts mais curiosos, cômicos e irônicos das fanpages.

1 – Aniversário da Cidade

2 – Dique das Antigas

3 – Judas do Subúrbio

4 – Meme do Oscar

5 – Festa Engarrafada

6 – Árvores no Caminho

7 – Bom de Bola

8 – Caetano é Gandhy

9 – Belezas da Cidade

10 – Cerveja da Discórdia

Curta outra vez

Além da visão de Salvador como um todo, algumas páginas no Facebook oferecem notícias e conteúdos relacionados aos bairros da cidade. Confira a matéria de Clara Rellstab como os soteropolitanos têm dado voz aos problemas dos seus bairros.