ARQUIVO ID126 – 2016.1 – ED. 01 / Dossiê: Comer

ARQUIVO ID126 – 2016.1 – ED. 01 / Dossiê: Comer

Comida, espiritualidade e relacionamentos afetivos têm  ganhado novos significados em um mundo que prega a praticidade. Nas agitadas rotinas diárias, principalmente de grandes cidades como Salvador, tornou-se raro encontrar tempo para saborear um prato de forma a sentir seu gosto ou ter algum tipo de conexão com o que se considera sagrado.  Dar atenção à rede de afetos nem sempre é possível. Talvez por isso o filme Comer, Rezar, Amar  estrelado por Julia Roberts e dirigido por Ryan Murphy, lançado em 2010, alcançou um significativo sucesso e inspirou a trilogia do ID 126, edição 2016.1. A partir dos verbos que dão o título a essa história vamos mostrar como na rotina de Salvador as pessoas exercitam a prática de comer, rezar e amar. O capítulo número 1 é um dossiê com reportagens multimídias sobre adaptação de hábitos alimentares à rotina de uma metrópole; o uso da tecnologia nesse universo; um café da manhã bem peculiar na Feira de São Joaquim e outros temas abordados sob a criativa ótica da nossa equipe. Desejamos, portanto, uma apreciação prazerosa desse especial como acontece diante de uma comida feita com arte e sensibilidade.

Arte: Polyanna Couto

Busca pela mesa mais prática favorece “salada química”

Alimentos  industrializados oferecem  riscos à saúde devido à alta concentração de sódio e outros elementos. Os orgânicos são opções mais saudáveis

Café da manhã: feijoada, farinha e molho de pimenta

Feijoada, mocotó e dobradinha são opções do café da manhã no maior mercado a céu aberto de Salvador: a Feira de São Joaquim.

Refeição chega no ritmo de bites e toques digitais

Aplicativos de receitas e pedidos delivery facilitam a vida de quem precisa de mais praticidade na hora de comer.

Tecnologia ajuda a comer com prazer | Foto: Divulgação

Pressa e correria levam à troca do almoço pelo lanche

Comer em fast foods, barraquinhas e carrinhos de comida é a solução em meio à falta de tempo, mas pode trazer problemas de saúde

Luz, câmera, macarrão!

Uma coleção de filmes aguça a sensibilidade para observar a gastronomia como arte capaz de despertar as mais variadas sensações

Crítica: o diário de viagem de uma rainha do drama

Júlia Roberts vive a protagonista de filme lançado em 2010 que conquistou milhares de fãs pelo mundo

Comer é hábito que vai além de cumprir exigência do corpo

Desde a pré-história o hábito de comer passou a ser um momento que serve também para exercer a comensalidade, ou seja, a interação ao redor da mesa

Fast food favorece isolamento| Foto: Natacia Guimarães/Labfoto

Gastronomia e sensibilidade marcam carreira de Ang Lee

O começo da carreira do cineasta Ang Lee  ficou também marcada por sua sensibilidade em tratar a relação entre gastronomia e cinema

Mulheres à frente de restaurantes preservam raízes históricas

Culinária e tradição servem como instrumento de afirmação  e ajudam a contar a história de resistência das mulheres negras na Bahia

Deuses impõem regras para a alimentação de quem os segue

Comer é também uma forma de se relacionar com o sagrado sob o ponto de vista de diversas práticas religiosas

 

COM 126 – Oficina de Jornalismo Digital, 2016.1

Coordenação: Cleidiana Ramos (professora)

Edição: Juliana Rodrigues, Camila Jesus e Priscila Dórea

Reportagem: Aline Valadares, Camila Chaves, Camila Jesus, Carla Letícia, Carla Ribeiro, Cristian Reis, Fabiana Guia, Juliana Rodrigues, Luana Silva, Naira Diniz, Polyanna Couto, Priscila Dórea, Raí Guerra, Renato Cerqueira  e Thiza Fereira

Produção de eventos para lançamento: Carla Letícia e Renato Cerqueira

Compartilhe Agora!