Geografia da sedução: diferentes papéis  na arte da conquista

Geografia da sedução: diferentes papéis na arte da conquista

Técnicas para atrair o objeto de desejo está presente em variadas culturas

Gess Alencar e Hilza Cordeiro

A arte da sedução é um jogo não apenas de charme e beleza, mas também de psicologia. É o desafio de atiçar a imaginação de alguém. A sedução é uma forma de exercer poder sobre o outro, fazendo com que ele se renda aos seus encantos. Esta arte está presente em todo o mundo, mas as técnicas de sensualidade utilizadas pelas mulheres variam de acordo com a localidade.

Japão

No mundo reservado do Japão, cozinhar para o crush pode ser um grande jeito de mostrar que está interessada. A típica timidez das mulheres japonesas é a sua arma de mistério e sedução. Elas são símbolo de delicadeza e cuidado com os mínimos detalhes da aparência. É o caso das gueixas, por exemplo. Elas surgiram como dançarinas e cantoras, num universo cercado de fantasia e luxo, bailando suavemente e hipnotizando com seus movimentos.

A indumentária dessas bailarinas é formada, basicamente, por um conjunto de quimono, maquiagem e adereços, que despertam curiosidade até hoje. Na maquiagem, a pele é tingida de branco e uma parte da nuca é deixada sem tintura, conferindo uma sensualidade extra.

França

Neste país, a mulher sedutora é misteriosa, independente e autoconfiante. O uso de meia-calça, saias e echarpes, muito presentes na moda francesa, também são itens que fazem parte do imaginário francês de mulher atraente. Além disso, aparentar – e ser – intelectual é um quesito bastante desejável neste país.

Tailândia
Conhecidas pela tradição de usar anéis de cobre ao redor do pescoço. Quanto mais alto o pescoço das mulheres da tribo Padaung mais elas são consideradas belas. Além disso, o uso está ligado à proteção para toda a tribo. Para as padaungs, o pescoço é o centro da alma e as argolas são símbolos de feminilidade.

Índia

Piercings são importantes adornos para as indianas. Associados à espiritualidade e à Lakshimi, deusa do amor e da beleza, são usados do lado esquerdo, considerado o lado feminino. O bindi, sinal ou jóia vermelha aplicado na testa, entre as sobrancelhas, simboliza a força feminina, o amor e a honra, usado tradicionalmente por mulheres casadas.

Oriente Médio e Ásia Meridional

As dançarinas de dança do ventre, também conhecidas como odaliscas, são figuras muito presentes em países como Turquia, Líbano, Síria e outros, localizados no Oriente Médio e Ásia Meridional. Com a barriga à mostra para exibir o movimento muscular da zona, as odaliscas passaram a fazer parte do imaginário de sedução. Elementos como leques e véus ajudam a completar o look das dançarinas. A dança é uma prática não só de diversão, mas também de sedução. Saber dançar era considerado um dote importante para ser uma boa esposa.

 

Share